FCBB Entrevista: Bruno Hildebrando | Aquarela Magazine

Por Eder Pessalacia


A FCBB realizou uma entrevista com o parceiro Bruno Hildebrando, publicitário especializado em Marketing Estratégico e Gestão de Projetos. Bruno é o Editor da Revista Aquarela Magazine, que pode ser encontrada na edição impressa ou no site www.aquarelamagazine.com




A revista Aquarela Magazine tem um papel importante na comunidade de Montreal e de todo o Quebec, divulgando a cultura brasileira. Como surgiu a ideia da publicação e como ela se materializou?

Foi no segundo semestre de 2011 que o projeto foi executado. A idéia já tinha surgido no primeiro semestre de 2010, quando eu comecei a trabalhar para a comunidade. Na época eu representava a revista Brazilian Wave em Montreal, e percebi que os exemplares da revista eram ignorados pelas pessoas. Creio que isso ocorria porque o conteúdo da revista fala muito de Toronto, e a experiência de vida dos brasileiros em Montreal é muito diferente.

Em 2011 eu decidi retomar esse projeto, e alinhá-lo com a série de eventos de contatos que eu organizava, os chamados Happy Hours Brasileiros. Seria a última edição dos eventos naquele ano, em novembro de 2011, e para começar fiz uma edição pequena; o projeto deveria começar, esse era o objetivo. Em seis semanas eu consegui o número mínimo de clientes que precisava para pagar a impressão, consegui que algumas pessoas ligadas à comunidade acadêmica escrevessem para a revista, arranjei um lugar muito bom para o evento, e fiz parceria com o Consulado Geral do Brasil em Montreal e a Câmara de Comércio Brasil Canadá - no caso os representantes da Câmara em Montreal. O evento foi um sucesso.


A revista possui uma arte bem acabada, com papel de qualidade e bom conteúdo. Como é feita a publicação, a arte e a escolha dos temas?

Cada edição é um projeto em si, e a temática depende ou de projetos alinhados à revista ou de eventos que estejam acontecendo na época do lançamento da revista.

Por exemplo, em 2014 o tema escolhido foi futebol por causa da Copa do Mundo no Brasil. Além da tabela dos jogos, fizemos uma matéria sobre três brasileiros que na época atuavam no futebol aqui no Quebec (dois jogadores e um treinador). Também fizemos uma edição cujo tema de capa era o cinema nacional, por causa do Festival do Filme Brasileiro de Montreal. Em outras edições, não havia um tema de capa, mas o conteúdo principal era uma entrevista com um profissional brasileiro que atua em sua área de formação no Quebec.


A colaboração da comunidade e dos parceiros deve ser vital para a execução desse trabalho. Como é feito esse engajamento e a busca de apoio para as edições?

Como o projeto começou há vários anos, eu conheço muita gente e por isso tenho uma boa perspectiva da comunidade brasileira em Montreal. Tenho formação em Publicidade, e assim eu sei como conseguir o apoio de clientes para a revista. Mas não é fácil, pois somos uma comunidade pequena, e muita gente prefere fazer posts no Facebook do que participar de um projeto de revista impressa. Temos um web site, o qual recebe uma boa quantidade de visitas, mas o diferencial da Aquarela é o fato de ser a primeira publicação bilíngue francês e português dedicada aos brasileiros.

Em algumas edições fizemos parceria com o Centro de Estudos e Pesquisa sobre o Brasil da UQÀM (esse organismo não existe mais), e assim eu publiquei artigos de acadêmicos brasileiros e quebequenses cuja temática era de alguma forma relacionada com o Brasil.

Com exceção da última edição, eu sempre procuro buscar pessoas que queiram escrever para a revista, e a edição é lançada em um evento de networking. A próxima edição será lançada em um evento, a ser divulgado, mas o conconteúdo ainda não foi definido.


A mascote da Aquarela é uma arara bastante simpática e alegre. Ela tem tido presença obrigatória nas capas da publicação. Foi uma forma de cativar o leitor "ao primeiro olhar" quando ele encontra a revista pela primeira vez?

Na época eu pensei que uma mascote daria uma personalidade à revista. Cheguei a pensar em um tucano, mas achei que poderiam interpretar o personagem como um posicionamento político; daí veio a idéia de uma arara. Daria aquele ar tropical e ao mesmo tempo sem conotação política.

O design do personagem foi criado por um designer carioca que conheci através dos meus contatos como radialista, o Cláudio Moura, radicado na região de Montreal há muitos anos.

Uma coisa que acontece e que acho engraçado é que as crianças gostam da capa, e em eventos frequentemente elas pegam a revista, folheiam um pouco, vêem que não tem nada na revista que as interesse, e quando vão descartá-la, a mãe pega o exemplar, vê do que se trata e guarda consigo.

Mas geralmente as pessoas vêem a capa, pegam para dar uma olhada e guardam o exemplar. Acho que ter um personagem na capa é um fator positivo nesse projeto.


A Aquarela já possui uma longa história e deve ter planos para o futuro. Quais são as perspectivas para os próximos anos?

Acho que o website deve ser melhor trabalhado, com mais conteúdo exclusivo, e aos poucos a edição impressa deve se tornar uma espécie de edição especial, com uma tiragem menor porém com mais páginas e melhor acabamento gráfico (melhor do que já é). Acho que devemos manter a edição impressa, pois nos permite atingir o nosso público-alvo de uma maneira única.

A idéia é fazer do site uma revista online, atual e com um posicionamento de mercado bem definido, que é onde oferecer análises e opiniões sobre o contexto em que vivem os brasileiros no Canadá e em especial no Quebec.


Poderia deixar uma palavra final sumarizando a mensagem que a revista pretende deixar para a comunidade lusófona no Canadá?

A nossa mensagem é a de que escolhemos o Canadá como o país onde queremos construir nossas vidas, escrever a nossa história, e por isso queremos mostrar aos brasileiros e aos canadenses que nós fazemos muito mais do que apenas festas de carnaval e churrasco.

Com todo o respeito ao pessoal que atua na área de entretenimento e artística, e eles merecem mesmo nosso respeito e gratidão. Mas é importante mostrar para as pessoas que nós somos médicos, engenheiros, empreendedores, jornalistas, programadores de sistemas, entre tantas outras profissões, e que nós somos capazes de contribuir para a vida canadense.

Somos brasileiros que vivem no Canadá, falando com brasileiros que vivem nesse país, valorizamos a nossa escolha de estarmos aqui, e amamos ser quem somos. A revista Aquarela Magazine representa a nossa imagem, e por isso o projeto gráfico é bem feito. No final das contas, a revista representa a nossa comunidade, e queremos nos apresentar bem aos nossos amigos canadenses.




Referências:

Créditos da imagem de capa: Site da Revista Aquarela Magazine



Faça parte da rede FCBB no Facebook e no LinkedIn

80 views
  • LinkedIn - White Circle
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

Need more details? Contact us!

Our team will be glad to hear from you!

© 2020 by Federation of Canadian-Brazilian Businesses