Welcome to this new Brazil, that is now open for business.

Updated: Jun 5, 2019



Welcome to this new Brazil, that is now open for business.

Dear FCBB Clients, Partners and Followers,


It is with great pleasure that I start a new year as the proud President and CEO of this organization, trying, through trade, to bring Canada and Brazil closer and closer everyday. Particularly now, when the prospects for the future in Brazil are so much better, we at FCBB must focus our energy to bring to the attention of our stakeholders the opportunities that lay in front of us. To that end, I will paint below a simplified view of the latest historic events in Brazil, that can pave the way to better trade between the two countries, despite of the likely slow down on the world’s economy over the next couple of years.


This simplified view shall be seen as a non-political perspective, focusing on the discussion of the numbers and actual actions been taken in Brazil lately, regardless of any preference for any Party.


The elections:


Despite of any claims that the democracy in Brazil may be at risk, what was presented to the Brazilian voters was a fair election, based on all basic fundamental provisions of the Brazilian Constitution, including the independent exercise of each of the 3 powers in the country (Executive, Legislative and Judiciary), leading to a clean and undisputed election of the new President, Mr. Jair Messias Bolsonaro, who took over from ex-President Michel Temer, during the inauguration ceremony last January 1st.


The dispute between the left wing (roughly 45%) and right wing (roughly 55%) candidates was very fierce, which brought various concerns regarding the military background of the talk active, energetic right wing then candidate, who was repeatedly reputed as being too extreme in his positions to a point of being accused of being sexist, homophobic and violent, trying to implement a military dictatorship.


The reality, however, has been different, so far. It looks like the elected President is learning how to listen and he assembled his staff reducing the number of ministries from 29 down to 22, with ministers selected based on the President’s understanding of competence and apparently not for political reasons as in previous governments. The President’s first actions to cut costs and eliminate the corruption, as well as the selection of the ministers to manage the country, were well received by the market and the Stock Exchange enjoyed its all time high this January (almost 98,000 points in Jan, 24th), crossing for the first time the barrier of 90,000 points right after the presidential inauguration ceremony and kept growing since then. This excitement of the markets, coupled with the decreasing unemployment rates to its lowest in 2 years, are bringing the confidence level of the industry and the market in general in Brazil to a very healthy and positive trend. The debut of the new President and his staff at the World Economic Forum in Davos, Switzerland, helped to fuel the optimism of the stock exchange market in Brazil, due to their pro-business speeches, promising to balance the economic growth with the preservation of Brazil’s uniquely rich environment. The speeches hovered around the openness to global business, the implementation of the required reforms and the stay of Brazil in the Paris Agreement for the environment.


Of course, with the expected slower growth of the Chinese economy and a potential recession in the US, the expectations for the Brazilian growth will be affected, however, remaining quite positive, following the slow and gradual improvements already seen over 2018. The government expectation is that the economy will grow around 2.4% in 2019 and 2.5% in 2020, which is highly dependent upon a few factors that must materialize, such as the successful effort in cutting its bloated fiscal accounts, especially by implementing the fundamental social security reform, which shall be the government’s first priority going forward, followed by the significant drop in urban violence and the elimination of systemic corruption and fraud. Important to mention that a package of other changes is required and the feeling is that such changes cannot delay to avoid denting the sentiment of recovery currently in place. In case market friendly reforms are quickly implemented, the beneficial consequences will follow, such as the increase of the household spending and the investment growth pick up.


The conclusion is that, more than ever, this is the time to start considering doing business with Brazil, as the recovery seems very likely and by starting to act now, when the economy is recovered and employment is back, anyone ready to do business will be in a very favorable position.


Welcome to this new Brazil, that is now open for business.


We wish you all a healthy and successful 2019.


Best regards

Sergio Frias

President and CEO


Linkedin: https://www.linkedin.com/in/sergiofrias/


__________________


Caros Clientes, Parceiros e Seguidores da FCBB,


É com grande satisfação e orgulho que inicio um novo ano como Presidente e CEO desta organização, tentando, através do comércio, aproximar o Canadá e o Brasil todos os dias. Particularmente agora, quando as perspectivas para o futuro no Brasil são muito melhores, nós da FCBB devemos focar nossa energia para trazer a atenção de nossos Clientes e Parceiros as oportunidades que estão diante de nós. Para isso, pretendo fazer uma análise de alto nível dos últimos acontecimentos no Brasil, que podem abrir caminho para um melhor comércio entre os dois países, apesar da provável desaceleração da economia mundial nos próximos dois anos.


Essa visão simplificada apresentada a seguir deve ser vista dentro de uma perspectiva não-política, enfocando a discussão dos números e ações reais realizadas no Brasil nos últimos meses, independentemente de qualquer preferência por qualquer tendência partidária.


As Eleições:


Apesar de alegações de que a Democracia no Brasil poderia estar em risco, o que ocorreu foi uma eleição justa, baseada em todas as disposições fundamentais da Constituição Brasileira, incluindo o exercício independente de cada um dos Três Poderes, o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Como resultado de uma eleição transparente e irrepreensível, foi eleito o novo Presidente, Sr. Jair Messias Bolsonaro, que recebeu o cargo do ex-Presidente Michel Temer durante cerimônia de Posse em 1º de Janeiro deste ano.


A disputa entre os candidatos de esquerda (aproximadamente 45%) e de direita (aproximadamente 55%) foi muito acirrada, o que trouxe várias preocupações em relação ao passado militar do candidato de direita, com posturas polêmicas que foram repetidamente consideradas como sendo de extrema direita em suas posições a ponto de ser acusado de sexismo, homofobia e violência, ou de tentar implementar uma ditadura militar no país.


A realidade, no entanto, tem se mostrado diferente até agora. Aparentemente, o Presidente eleito está aprendendo a ouvir e montou sua equipe reduzindo o número de Ministérios de 29 para 22. Os ministros foram selecionados com base nos critérios de competência do Presidente e aparentemente não por razões políticas, como nos governos anteriores. As primeiras ações do Presidente para cortar custos e eliminar a corrupção, bem como a seleção dos ministros para administrar o país, foram bem recebidas pelo mercado. A Bolsa de Valores ficou em alta em janeiro (quase 98.000 pontos em 24 de janeiro), cruzando pela primeira vez a barreira de 90.000 pontos logo após a cerimônia de posse presidencial e continuou crescendo desde então. Essa empolgação dos mercados, aliada à queda nas taxas de desemprego para o menor patamar em dois anos, está levando o nível de confiança da indústria e do mercado em geral no Brasil a uma tendência muito saudável e positiva. A estreia do novo Presidente e de sua equipe no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ajudou a alimentar o otimismo do mercado de ações no Brasil, devido a seu discurso pró-mercado, prometendo equilibrar o crescimento econômico com a preservação do meio ambiente excepcionalmente rico do Brasil. Os discursos giraram em torno da abertura aos negócios globais, da implementação das reformas necessárias e da permanência do Brasil no Acordo de Paris para o Meio Ambiente.

É claro que, com o esperado crescimento mais lento da economia chinesa e uma possível recessão nos Estados Unidos, as expectativas para o crescimento brasileiro serão afetadas, no entanto, permanecem bastante positivas, seguindo a melhora lenta e gradual já observada em 2018. A expectativa do governo é que a economia cresça em torno de 2,4% em 2019 e 2,5% em 2020, o que é altamente dependente de alguns fatores que devem se materializar, como o esforço bem-sucedido em cortar suas inchadas contas fiscais, especialmente implementando a reforma fundamental da seguridade social, que será a primeira prioridade do governo daqui para frente, seguida pela queda significativa da violência urbana e pela eliminação da corrupção e fraude sistêmicas. É importante mencionar que um pacote de outras mudanças é necessário e a sensação é de que tais mudanças não podem atrasar para evitar o sentimento de recuperação atualmente em vigor. Caso as reformas favoráveis ​​ao mercado sejam implementadas rapidamente, as consequências benéficas se seguirão, como o aumento dos gastos das famílias e o crescimento do investimento.


A conclusão é que, mais do que nunca, esta é a hora de começar a fazer negócios com o Brasil, pois a recuperação parece muito provável e, ao começar a agir agora, quando a economia está recuperada e o emprego está de volta, quem está pronto para fazer negócios estará em uma posição muito favorável.


Bem-vindo a este novo Brasil, que agora está aberto para negócios.


Desejamos a todos um 2019 saudável e bem sucedido.


Com os melhores cumprimentos,

Sergio Frias

Presidente e CEO

98 views
  • LinkedIn - White Circle
  • Facebook - White Circle

Need more details? Contact us!

Our team will be glad to hear from you!

© 2018-2019 by Federation Canadian-Brazilian Businesses